Teu sonho, teu dever de o proteger

Teu sonho, teu dever de o proteger

August 18, 2018 1 Comment

Até chegar ao meu segundo ano de faculdade, tinha sonhos muitos pequenos como aprender a fazer jogos para que pudesse jogar mais tempo. Foi este motivo que me levou a investir tempo para poder aprender a programar.

A medida que fui aprendendo sobre conceitos técnicos e as mentes brilhantes por detrás da criação destas tecnologias, o meu horizonte começou a expandir e comecei a olhar para a programação não só como uma ferramente para fazer jogos.

Para o quanto as pessoas sabem que sou fã do Google, pode até parecer que meu sonho de infância era trabalhar para o Google.

A verdade é que a obsessão pelo Google começou quando comecei a perceber que todas aquelas pessoas que lá estão, eram seres humanos e uns entraram por talento mas também houve outras que se esforçaram muito.

Começar a aprender Android foi o que realmente me fez ter o objectivo específico de trabalhar para o Google e desenvolver aplicações para Android.

Falo do Android como a maior força por detrás da minha persistência em ir atrás do sonho de trabalhar numa empresa que parecia impossível, porque foi durante o processo que aprendia Android que tive a minha primeira interação com pessoas que trabalhavam para o Google “Googlers” através do grupos no Google+.

Com um caminho bem definido, comecei a colocar todo o tempo que tinha para atingir o meu objectivo de me tornar em um desenvolvedor de aplicações para android capaz de trabalhar para o Google.

Olhando para trás, não trabalho para o Google mas trabalho com o Google através dos diferentes programas como GDG e GDE e sinto-me feliz por poder ter chegado ao nível que cheguei.
Ainda penso um dia em ir trabalhar para o Google, mas neste momento sinto que tenho mais impacto no Shopify  e quando for a altura certa tenho a certeza que conseguirei colocar energias para seguir qualquer que seja o caminho que ache o melhor para a minha vida.

Apesar de estar super contente pela direcção que a minha vida tomou e por ter alcançado os meus sonhos de uma forma ou de outra, no meu caso, adquirir os conceitos técnicos foi dificil mas tive um problema ainda maior que na altura parecia impossível de superar.

O problema de que falo, era da falta de suporte por parte de familiares e amigos. Durante estes anos a procura destes sonhos e me tornar numa pessoa melhor fez com que me distancia-se de vários amigos e familiares.

Isto aconteceu porque tomei a decisão de ser egoísta e perseguir o que me interessava sem necessariamente me importar com o que as outras pessoas achavam melhor para mim. Olhando para trás, acho que poderia ter feito melhor e ter uma relação sem muitas fricções com pessoas muito próximas como a minha mãe.

Paro para pensar e escrever sobre isto em uma altura que comeco a pensar sobre os próximos sonhos e objetivos a seguir e espero poder utilizar estas lições para garantir que desta vez as coisas sejam melhores.

Abaixo estão alguns pontos sobre como acho que podes proteger o teu sonho e garantir que tens menos fricção com as pessoas próximas de ti


Coloque-se nos pés das pessoas e tente entender o seus motivos

Antes de mais nada, devo esclarecer que com pessoas, refiro-me a pessoas próximas a ti. Falo dos teus pais, o teu/tua parceiro(a), irmão, melhor amigo etc.

Fiz menção específica ao tipo de pessoas que podem ser próximas a ti, porque estas pessoas se importam contigo, querem te ver feliz, bem sucedido e sem passar dificuldades.

Falando dos nossos pais em específico, eles sabem que um dia não estarão mais entre nós e a última coisa que eles querem imaginar e a imagem dos filhos a sofrer na sua ausência.

Tirando esta preocupação que eles tem por nós, eles cresceram em tempos totalmente diferentes em que não havia muito espaço para correr riscos e só haviam formas limitadas que garantisse que uma pessoa seria bem sucedida.

Se parares para entender estas duas coisas vais começar a perceber que não é algo pessoal mas uma mistura de preocupação/medo e uma forma de ver o mundo totalmente diferente da nossa.

Para a minha mãe, o mais importante é que eu terminasse escola, procurasse um trabalho no Governo(Cedcif), ficasse “estável” para que ela não ficasse preocupada caso não estivesse mais aqui. Lembro-me que ela sempre dizia o seguinte: “Eu vou morrer, pode ser hoje, amanhã ou daqui a alguns anos e vocês(Eu e o meu irmão mais velho) não podem ficar a sofrer”.


Defina um objetivo e um plano detalhado.

Se ainda não o fizeste, defina o teu objetivo ou sonho como deve ser. Com isto refiro-me a identificares quanto tempo precisas para atingir a tua próxima meta, o que vais fazer e quais são as coisas que estarás disposto a sacrificar durante esse período.

Em 2015 quando terminei a escola e decidi que não iria trabalhar em nenhuma empresas mas melhorar os meus skills trabalhando no Moovi decidi que me daria 2 anos para crescer a empresa até um certo objetivo ou me tornar num dos melhores na área que trabalho. Como assumi que não faria dinheiro, diminui os meus gastos ao mínimo que podia e só utilizava dinheiro para fazer o necessário.

Cortei saídas com amigos, festas, jantares viagens entre outras coisas que poderia ter feito na altura.


Seja mais aberto e fale sobre os objectivos

Quando tomei a decisão de seguir o meu sonho, estava decidido que o faria por mim e que se eu não pudesse dedicar o tempo e esforço, ninguém poderia. Após tomar esta decisão, me isolei no meu mundo e a única pessoa que sabia sobre o que realmente se estava a passar pela minha cabeça era o meu amigo José Pedro Dava pois tínhamos os nosso objectivos alinhados, passamos muito tempo juntos e falamos muito.

Para o resto das pessoas, em específico a minha mãe, não entendia o que eu estava a fazer, e qual era o objectivo final. Por muito tempo,  antes de entender o primeiro ponto, achei que ela estava só a chatear-me e sempre que me fazia uma pergunta eu levava para o lado negativo e simplesmente não respondia e mudava de assunto.

No momento que comecei a entender as motivações dela que mencionei no ponto acima, comecei a dedicar mais tempo e esforço para comunicar-me melhor com ela primeiro sobre o meu objectivo final, datas e a decisão sobre o que tinha decido sacrificar.

Ao longo do tempo comecei a comunicar sobre o que se estava a passar de forma regular, e lembro-me que sempre que voltava a casa depois de um dia a trabalhar ou a estudar , encontrava a ela na sala, dava um beijinho e sentava-me para lhe explicar as coisas que fiz durante o dia.

Várias noites tenho a certeza que ela sequer entendia algumas coisas técnicas que eu falava, mas à medida que fui falando começamos a ter conversas mais abertas até que chegaram ao ponto de ter ela a dar-me conselhos sobre como tratar da contabilidade do Moovi, e outras situações.

Apesar de ainda existir preocupação, consegui sentir um aumento no suporte e confiança que ela me dava.

 

A verdade é que me sinto extremamente grato pela família e amigos que tenho. Tenho a certeza que nem todos que vão ler este artigo tem a mesma sorte.

Para as pessoas que têm famílias e relações mais complicadas, é possível que não tenham suporte que tive mas fazer as 3 coisas que escrevi aqui pelo menos vão fazer com que dês a oportunidade para que estas pessoas te entendam.

Se realmente acreditas no teu sonho, tente fazer as pessoas entenderem, respeite a sua posição e de forma respeitosa tente criar o respeito e as condições necessárias para proteger a todo custo o teu sonho pois se tu não o fizeres, ninguém o fará por ti.

Em especial agradecimento ao Edilson Ngulele que pediu que escrevesse sobre este post após termos falado sobre este assunto.


Bom fim de semana :)



1 Response

Milena Valoi
Milena Valoi

August 18, 2018

Olá Dário, parabéns pelos teus artigos. Admiro muito a tua coragem e determinação. Ser empreendedora a estudar no isutc não é fácil, isso espero conseguir ter a mesma determinação e força para não desistir dos meus sonhos.

Leave a comment