Como fazer muito tendo pouco dinheiro

Como fazer muito tendo pouco dinheiro

August 16, 2018 2 Comments

Para a maioria dos jovens de hoje, o mesmo salário que um os nossos pais recebiam no seu tempo é considerado como muito pouco e a expressão utilizada e “não dá para viver”.

Apesar de existirem factores com a inflação e o custo de vida ter realmente subido, estes não são os reais motivos para que os jovens pensem desta forma e tenham dificuldades financeiras.

Digo isto porque é normal encontrar pessoas mais velhas que recebem o mesmo salário hoje em dia, conseguem gerir a família incluindo este jovem que apesar de ter o mesmo salário e sem as mesmas responsabilidades está sempre sem dinheiro.

Existem algumas razões para que isto aconteça e dentre elas as que considero importantes a considerar são:

  • Falta de educação financeira
  • Falta de paciência parcialmente pela falta de educação financeira

Falta de educação financeira

Quando falo de educação financeira, não falo de saber ler balanços de contabilidade ou algo muito complicado mas sim de bases como entender o que realmente é uma dívida(existem dívidas boas e dívidas más), investimentos, poupanças e planeamento.

A grande culpa disso considero que na maior parte das vezes seja dos nossos pais. Digo que é culpa dos nossos pais porque sempre cresci a ver e a ouvir pais a dizerem que os filhos não poderiam saber de dinheiro se nao haveriam de ficar viciados ou algo parecido. Apesar de concordar que não faz sentido nenhum dar dinheiro a toa a uma criança, a maior parte dos nossos pais perdeu a oportunidade de aproveitar a nossa infância para ensinar sobre algumas coisas e hábitos que são necessárias para ter uma vida de “adulto” menos estressante.

Um exemplo de educação financeira que pode-se ter em casa consiste em ensinar  uma criança sobre dinheiro e com guardar dinheiro para fazer uma determinada coisa. Tive sorte de ter uma mãe que sempre quis que aprendêssemos sobre o que ela aprendia a quando estava a estudar economia

Quando era mais novo, não me lembro de uma vez sequer que a minha mãe deu-me dinheiro completo para comprar qualquer coisa que eu quisesse e ela achava que era necessário.

Ela sempre me dava 25% ou até 50% do dinheiro e dizia que teria de juntar o resto do meu dinheiro até comprar o que queria. Com juntar o meu dinheiro ela referia-se a sacrificar uma parte do outro dinheiro que ela me dava para outras coisas específicas( lanche, transporte, etc etc). A ideia de tudo isso  que tinha de aprender a poupar.

Lembro-me de um episódio em que ela deu-me dinheiro para comprar umas sapatilhas nos mesmo termos e acabei gastando o dinheiro com algo diferente. Como resultado fiquei sem as sapatilhas da moda que queria.

Ela não zangou-se comigo por ter gasto o dinheiro e eu fiquei triste pois ela garantiu que não me daria mais o dinheiro ou comprar as sapatilhas. Este episódio ensinou-me sobre como é fácil gastar dinheiro e não atingir os objectivos que tinha com o mesmo.

A medida que eu e o meu irmão fomos crescendo, começamos a ter um valor X que não estava definido e não era suficiente para fazer tudo. A ideia desta fase era nos ensinar a saber priorizar as coisas importantes e alocar o dinheiro como deve ser.

Falta de paciência

Este segundo motivo vem por não termos tido chance de aprender algumas lições acima é amplificado pela forma como vivemos e nos comunicamos.

Hoje em dia com os instagrams e facebooks da vida em que vemos que o fulano comprou X, foi para o lado Y e é “apreciado” por muitos por essas coisas materiais, começamos a perder paciência com a nossa própria jornada pois queremos ser adorados e apreciados pelos outras também.

Como resultado disto, é comum ver jovens a gastarem mais do que podem em coisas desnecessárias só para impressionar os outros.

Não digo que uma viagem, um iphoneX ou um bom carro sejam coisas que não tens de comprar e não são boas de ter. Apenas acho que se realmente queres ter ou fazer uma destas coisas, tens 2 coisas importantes na cabeça:

    • Qual é a necessidade ou importância da coisa com que queres gastar dinheiro?

      É preciso entender qual é o benefício que uma coisa realmente vai trazer se decidires que tens de sacrificar tudo o resto para comprar algo. Se tens uma oportunidade de avançar a tua carreira viajando  para uma conferência na África do Sul e para tal tens que chegar bem disposto. Não hesite em juntar o que te resta e pagar a passagem pois sabes que essa oportunidade te está a levar muito dinheiro agora mas vai te ajudar a gerar mais no futuro.

      Se precisas de um computador para digitar texto e ter dinheiro, será que tens de comprar um Macbook ou um computador simples vai servir ate que possas gerar mais dinheiro?

    • Se não é importante o que queres, esteja disposto a esperar
      Voltando às viagens, celulares, carros caros entre outras coisas acho que são coisas boas de ter e que de certeza nos devem deixar felizes e realizados. Sendo assim, acho que se realmente queres uma destas coisas e nao ficar sem dinheiro, tens de estar disposto a juntar dinheiro até que possas pagar sem que passes dificuldades.


      Para poderes fazer isto, será preciso que faças um orçamento sobre quais são os teus gastos do mês e incluir estas coisas.


      Se tens um salário X e queres comprar um Iphone X, pense quanto custa o iphone X e quanto estás disposto e capaz de guardar por mês até que tenhas o Iphone X. Se o iphone X custam 80000 e consegues guardar 5000 meticais por mês depois de pagar as tuas contas para esse objectivo, então só em 16 meses vais conseguir comprar o Iphone X sem comprometer o resto das tuas finanças.


      16 meses vão passar e se realmente tens grandes ambições, talvez te apercebas que na verdade não precisas do iphone porque o teu S4 ajuda-te a fazer tudo o que querias mas sim podes levar esse dinheiro para investir em algum negócio. Este negócio após algum tempo vai ajudar-te a poder utilizar dinheiro para todas as coisas que sempre quiseste.


      Falei deste exercício para o Iphone mas a mesma técnica pode funcionar por exemplo para comer fora, sair com amigos, seja lá o que for.

    Se dedicas 1000 meticais ou mais dependendo do que tens para comer fora, significa que se decidires jantar num restaurante em que a refeição para 2 são 4000 meticais, vais de sacrificar 4 meses sem comer fora ou 8 meses a guardar metade do dinheiro para essa saída.

Acredito eu que foi tendo estes dois princípios na cabeça que os nossos pais conseguiram construir casas, ter carros, nos educar  e continuar a pôr comida na mesa. Estes momentos não foram fáceis para eles, tiveram que fazer algumas escolhas e privar-se de alguma coisa porque acreditavam que outras eram mais importantes para eles e para nós.

Sendo assim, se saltaste tudo o resto que escrevi, gostaria que te lembrasses que:

  • Podes comprar  ou fazer o que quiseres desde que estejas disposto a guardar e esperar o período que for necessário para fazer isso.
  • Tenha um objetivo financeiro e crie um plano para atingir esse objectivo.
  • Tenha disciplina de seguir o plano e não deixe que a pressão social te faça sair do caminho que decidiste.
  • Vai ser difícil, talvez tenhas menos pessoas a admirar-te por levar uma vida mais modesta, talvez cortes algumas amizades pela mudança nos hábitos mas podes ter a certeza que em 1 ano no mínimo vais pelo menos sentir menos ansioso no que diz respeito a finanças. Em 10 a 20 anos talvez te encontres na posição que brincas de estar estar hoje.
  • Sempre que conseguirás te disciplinar para algo, viajar, comprar algo que querias, vais aproveitar ao máximo e curtir o momento será a tua única preocupação.

Livro do dia:
Rich Dad Poor Dad - Robert T. Kyosaki



2 Responses

Ludmila
Ludmila

August 16, 2018

Muito bom…
A minha primeira leitura no teu blog. Vou seguir-te. Bjinhos

Victor Dias
Victor Dias

August 16, 2018

Great broo… só escreves certo.

Leave a comment